"Os Vizinhos" (2002) / Peças

de Michel Vinaver

    Estreia: 03/10/2002
    Tradução: Christine Zurbach e Luís Varela
    Encenação: Luís Varela, assistido por Luís Correia Carmelo
    Interpretação: Alexandre Barata, Maria Marrafa, Hugo Caroça, Victor Santos
    Cenografia e Figurinos: Inês Lobo, assistida por Pedro Corta
    Intervenção plástica: Luís Mouro
    Desenho de luz: Fernando Sena
    Música: W. A. Mozart
    Direcção de Cena: Ana Filipa Trindade
    Operação de Luz: Marinho Gonçalves
    Construção de Cenários: António Galhano, Angelo Figueira, Tó Fonseca
    Costureira: Rosa Fazendeiro
    Cartaz: Inês Lobo
    Fotografia: Paulo Nuno Silva
    Produção: Alice Dias
    Secretariado: Eugénia Nunes
    Maquinaria: Tó Fonseca e Rui Silva
“Chamam-se Laheu e Blason. Moram em duas casas geminadas, este último com a filha, o outro com o filho. As duas casas têm um terraço comum como laço de vizinhança; como vínculo, é mais forte que o casamento, que a amizade ou o amor-paixão; e depois, é outra coisa. Parece que nada lhes pode acontecer, de tal modo estão bem amarrados ao seu microcosmos, os quatro. E depois, acontece-lhes tudo. O mundo exterior cai-lhes em cima. É um turbilhão, uma tempestade que devasta, arranca tudo, que vira os dois homens um contra o outro num desvario sem nome: Alice e Ulisses, os filhos, dir-se-ia que se agarram, como a um destroço dum naufrágio: afogar-se-ão? E depois, quem era capaz de prever? O microcosmos recompõe-se, o laço de vizinhança refaz-se, decididamente, há qualquer coisa ali que é mais forte que tudo. Basta dizer isso e eis que um novo vendaval... mas as coisas destas vez correm de maneira diferente.” Michel Vinaver

Outras peças em cena