“Dois Actos para um blue” (2003) / Peças

de Marcela Costa

    Estreia: 17/06/2003
    “Stormy Wheater”
    Encenação: Rogério Bruno
    Interpretação: Alexandre Barata, Ana Filipa Trindade
    Cenografia e Figurinos: Luís Mouro


    “Summertime”
    Encenação: Alexandre Barata
    Interpretação: Ana Filipa Trindade, Rui M.Silva, Rogério Bruno
    Cenografia e Figurinos: Luís Mouro
    Música: Carlos Barretto
    Iluminação: Rogério Bruno 
    Cartaz: Luís Mouro
    Interpretação musical: Carlos Barretto (cb),Rui Freire (p)
    Operação de som e luz: Carlos Marques
    Construção de Cenários: Fernando Duarte , Angelo Figueira
    Montagem: Pedro Fino, Marinho Gonçalves, José Alexandre
    Costureira: Rosa Fazendeiro
    Fotografia: Paulo Nuno Silva
    Vídeo: CREIA/UBI
    Produção: Alice Dias
    Secretariado: Eugénia Nunes
    Direcção de Produção: Fernando Sena
Summertime e Stormy Wheater são títulos de dois dos mais famosos “standarts” da história do jazz e que nestas duas pequenas peças de Marcela Costa se transformam no pano de fundo de histórias de gente comum onde a música serve para viajar, sonhar e viver um tempo que se confunde com a realidade. Um tempo de encontros e desencontros. Summertime passa-se numa esplanada de Verão de um hotel onde as relações de trabalho entre dois músicos e uma empregada de mesa, que já foi cantora, se cruzam com o passado, as paixões e as frustrações. Um triângulo ou um Trio que nunca poderá acabar junto, pelas feridas abertas entre eles. A música que os une na paixão é também um motivo de separação quando dela se espera viver e sobreviver. Stormy Wheater é a lembrança de uma noite chuvosa onde ao som de um solo de saxofone, Laura precipitou uma vez o futuro. O seu ódio à pequenez e à tacanhez daquela terra leva-a a decidir mudar de vida, não pelo amor ao noivo mas pela atmosfera do momento em que jazz, romance e desejo de partir se confundiram. O jazz naquela noite de chuva aliou-se ao sonho de espaços tão mais amplos quanto cosmopolitas.

Outras peças em cena