Festival de Teatro 2013 / Organização

Desde os primeiros anos da década de oitenta, a chegada do Outono trazia à nossa cidade o seu festival; O Festival de Teatro da Covilhã, e com ele a ideia de um serviço público na área da cultura como elemento de coesão social e de combate ao isolamento. Os anos passaram e hoje a cidade e a região olham para o seu festival como um património consolidado e reconhecido do qual se orgulham.

Centenas de artistas nacionais e estrangeiros registaram no livro das suas memórias a sua passagem por esta terra onde também eles deixaram para a posteridade, gravado nas nossas retinas o brilho da sua arte imortal; o teatro!... esse espaço imaginário onde a sensibilidade desperta, onde o espaço da entrega e da dádiva se misturam, onde o prazer do olhar e do sentir se envolve com o pensamento e a compreensão pelo próximo e sempre no confronto com as injustiças e insensibilidade dos despotismos.

Para nós, anfitriões destes sonhos, todos os anos pelo o Outono, o sol rompe atrás de uma cortina de cena, e mesmo com o frio lá fora é no calor desse encontro que resistimos ao Inverno que sempre se segue… à partida dos “cómicos”… mas para já … sejam Bem vindos!

 

Um pouco de história

 

O FESTIVAL DE TEATRO DA COVILHÃ realizou-se pela primeira vez em 1980 (com a designação de Ciclo de Teatro de Outono), tendo apenas sido interrompido nos anos de 1994 e 1995, em virtude da Companhia ter ficado sem a sua sala de espectáculos. Com a profissionalização da Companhia o Teatro das Beiras retoma a organização deste certame com a denominação de FESTIVAL DE TEATRO DA COVILHÃ, em 1996. Tendo sido um dos primeiros Festivais a ser organizado no período pós 25 de Abril o FESTIVAL DE TEATRO DA COVILHÃ, está intimamente ligado à história da descentralização teatral em Portugal, não só pela quantidade de companhias que nele participaram, mas também porque foi ponto de partida para a organização de outros Festivais, muitos dos quais ainda hoje se continuam a realizar. Durante vários anos o Festival de Teatro foi o grande evento cultural da Beira Interior e para além da quase totalidade das Companhias de Teatro existentes terem a oportunidade de mostrar os seus espectáculos na Covilhã, o Festival estendeu-se por outras áreas, como a música, a dança, as exposições, permitindo ainda a organização durante vários anos da Feira do Livro da Covilhã. Ao longo das edições o Festival foi responsável pela programação de mais de 600 espectáculos, a que assistiram mais de 60.000 pessoas.