• "A Bela Verdade"

    Goldoni escreve, em 1762, ”A Bela Verdade”, uma das obras mais originais e a mais autobiográfica, onde o autor é representado pelo personagem Lorano Glodoci, precisamente no papel de escritor de peças. No argumento, uma companhia ensaia o drama jocoso "As Bodas". Actores e empresário solicitam a Glodoci, o autor, para que escreva um novo argumento capaz de interessar e motivar o público. O autor aceita por fim e não sem dificuldade, compor uma nova obra; “uma obra em gestação”. A partir de então, actores e empresário todos lhe apresentam exigências. O drama é, desta forma, um quadro de costumes sobre o mundo do teatro, dos artistas, do palco e simultaneamente, uma reflexão sobre o entendimento e a forma que Goldoni encontra para expor o seu conceito da “verdade” teatral.

  • "Do princípio ao fim"

    “Do princípio ao fim” comporta uma identidade sustentada na história das artes de palco e propõe ao mesmo tempo uma leitura contemporânea e atualizada de uma dramaturgia que se inspira num teatro eminentemente social, de humor desconcertante, às vezes trágico e grotesco, estimulando o sentido crítico, insinuando uma mistura de desencanto e simultaneamente de esperança e expectativa na humanidade, capaz de impulsionar o homem a resistir às adversidades e continuar lutando pelos valores de dignidade que são lhe devidos.

  • "Entremezes"

    Aquando da nossa indepência em 1640, com a redefinição das nossas fronteiras, a pesca no rio Minho gerou questiúnculas entre galegos e portugueses. Isso deu tema e conteúdo ao “Entremés Famoso sobre da pesca do Rio Minho”, primeiro texto da literatura dramática galega. Nessa peça, o português era um fidalgote egoísta fanfarrão e arrogante que era combatido com sucesso pelos labregos paroquianos de Tuy. Este nosso “Entremezes” é como uma resposta jocosa, a olhar com ternura e simpatia para os descendentes desses galegos separados de nós pela mesma língua. Fomos separados por fronteiras políticas. Não culturais nem geográficas.

  • "O Inventório"

    Um espetáculo de teatro para todos os que gostam de procrastinar... com muita imaginação.

  • "Um Mundo Mágico..."

    A Vida Mágica da Sementinha, de Alves Redol, que o Teatro das Beiras leva à cena, é uma fábula para fazer sonhar crianças e adultos. Numa linguagem simples, de registo poético, o autor constrói uma história em louvor da terra e do trigo, que o mesmo é dizer da Vida

  • "Una Donna Sola"

    Numa sala muito cor-de-rosa, de uma casa muito escura, uma solitária mulher executa a rotineira tarefa “muito feminina” de passar a roupa a ferro. Ela passa, passa, passa… Subitamente, dá conta que no prédio defronte, num apartamento até então desabitado, se instalou uma nova inquilina. Tudo muda: deixa de estar só!

Destaques

FESTIVAL Y#15 - CRIAÇÃO COMUNITÁRIA "CARTOGRAFIAS II - O primeiro amor"

16.NOVEMBRO | 17H30 - AUDITÓRIO TEATRO DAS BEIRAS

TRANVÍA TEATRO apresenta "Diálogo de sombras"

21.NOVEMBRO | 21H30 - AUDITÓRIO TEATRO DAS BEIRAS

A BELA VERDADE - COIMBRA

29 DE NOVEMBRO, 21H30 - TEATRO CERCA DE SÃO BERNARDO

ENTREMEZES EM DIGRESSÃO

16.NOVEMBRO - ARRENTELA/SEIXAL | 22.NOVEMBRO - ALCAINS | 23.NOVEMBRO - SÃO FACUNDO/ABRANTES